sexta-feira, 8 de maio de 2015

Vikings pacíficos viajaram 70 anos antes dos invasores


Historiadores situam início da era dos vikings num raide a ilha inglesa, em 793, mas há provas de passado mais pacífico.

O ataque e pilhagem ao mosteiro da ilha de Lindisfarne - também conhecida por Ilha Sagrada - na costa nordeste de Inglaterra, em 8 de junho de 793, tem sido apontado pelos historiadores como o momento fundador da violenta era dos vikings na Europa. Mas uma investigação conjunta das universidades de York (Reino Unido) e Aarhus (Dinamarca) revelou uma história mais antiga que, além disso, começou de forma bem mais pacífica do que se pensava.

A equipa, liderada por Steve Ashby, do Departamento de Arqueologia de York, encontrou provas de que os vikings já empreendiam longas viagens pelo menos desde 725. Ou seja: 68 anos mais cedo do que se estimava. E que, por essa altura, os seus propósitos eram puramente comerciais. Dedicavam-se à venda de hastes de rena a outros povos do Sul da Escandinávia, que os utilizavam para o fabrico de vários utensílios, nomeadamente de pentes.

De acordo com o estudo, publicado no European Journal of Archaelogy, estes "comerciantes" vikings estabeleceram a sua rota comercial entre o atual território da Noruega e Ribe, a mais antiga cidade da atual Dinamarca. Aliás, a relação terá contribuído decisivamente para estabelecer essa cidade como um importante entreposto comercial no Norte da Europa.

As provas encontradas pelos cientistas, em escavações realizadas no antigo mercado de Ribe, são as próprias hastes de rena. O animal não era nativo daquele território, o que, segundo os investigadores, prova que foi para lá transportado pelos vikings.