quarta-feira, 12 de março de 2014

Outros acidentes aéreos envolvidos em mistério


Num momento em que as informações sobre o desaparecimento do avião da Malaysian Airlines se tornam cada vez mais confusas, conheça outros casos de desastres aéros que permanecem envolvidos em mistério.

Amelia Earheart

Desaparecido em 1937, o avião pilotado por Amelia Earheart é talvez o caso mais conhecido. Amelia Earheart e Fred Noonan, que estavam a tentar fazer uma volta ao mundo, desapareceram algures sobre o oceano Pacífico. Foram declarados mortos dois anos depois. Nunca foram encontrados vestígios.

Voo 447 da Air France

As caixas negras do voo 447 da Air France, que fazia a ligação entre o Rio de Janeiro (Brasil) e Paris (França), foram encontradas quase dois anos depois do seu desaparecimento, mas a investigação não foi conclusiva. Nenhuma das 228 pessoas a bordo sobreviveu.

Voo 990 da EgyptAir

Era um voo de rotina entre Nova Iorque (EUA) e o Cairo (Egito), em outubro de 1999. Com 217 pessoas a bordo, caiu no Atlântico. Ninguém sobreviveu. As autoridades egípcias identificaram uma falha mecânica como a causa do acidente, mas os EUA acusaram o piloto de fazer o avião cair intencionalmente.

Voo 967 da Varig

Um voo de carga com seis pessoas a bordo desapareceu 45 minutos depois de levantar voo em Tóquio, em 1979. Meses depois do desaparecimento, os investigadores concluíram que teria ocorrido uma despressurização a bordo, mas ausência de destroços gerou várias teorias da conspiração.

Star Dust

Foram necessários 50 anos para identificar a possível causa do desastre com o Star Dust da British South American Airways, que, em 1947, caiu nos Andes argentinos. Depois de meio século sem encontrar qualquer destroço do avião, concluiu-se que o mau tempo terá confundido da tripulação que, acidentalmente, terá iniciado a descida para a aterragem demasiado cedo.

Triângulo das Bermudas

Vários aviões e navios foram dados como desaparecidos durante décadas na zona conhecida como Triângulo das Bermudas. Em 2009, a BBC avançou com a possível causa de um desses desaparimentos, um voo da British South American Airways, em 1940: uma falha técnica catastrófica. Ainda assim, o mistério sobrevive.

Voo 571 da Força Aérea do Uruguai

Tinha 45 pessoas a bordo quando o voo 571 da Força Aérea do Uruguai caiu nos Andes. Metade dos passageiros sobreviveu ao impacto e a mais 72 dias nas montanhas até serem encontrados. Para sobreviver recorreram ao canibalismo e o caso foi transformado no filme "Alive", em 1993.

Voo 800 da Trans World Airlines

A explosão do voo 800 da TWA, em 1996, nos Estados Unidos da América, que causou a morte das 230 pessoas a bordo foi alvo de muitas teorias conspirativas ao longo dos anos. A investigação apontou um curto-circuito como a origem da explosão, mas muitos acreditam que o aparelho foi abatido pouco depois de levantar voo desde Nova Iorque.

Voo B-24D da Força Aérea norte-americana

Durante a Segunda Grande Guerra, um voo da Força Aérea dos Estados Unidos da América partiu da Líbia até Itália em missão e nunca regressou à base. A tripulação de 9 militares, foi dada como desaparecida em combate. Na verdade, oito deles sobreviveram, mas acabaram por não resistir ao calor e à falta de água. O avião foi descoberto quase intacto 15 anos depois.

Steve Fossett

Ventos muito fortes terão sido a causa da queda do avião privado de Steve Fossett, em 2007, que pretendia ser o primeiro a dar a volta ao mundo sozinho sem reabastecer. Só um ano depois encontraram o aparelho.

Vittorio Missoni

O arquipélago de Los Roques já foi considerado o novo Triângulo das Bermudas. Há cerca de um ano, um pequeno aparelho com seis pessoas bordo, entre elas Vittorio Missoni, dono da famosa marca italiana com o mesmo nome, desapareceu na costa da Venezuela. Meio ano depois, foram encontrados destroços e restos mortais.