domingo, 2 de março de 2014

Novo vírus da gripe das aves contabiliza dois casos na China, um deles mortal


Há um novo vírus da gripe das aves a infectar humanos na China ADRIANO MIRANDA

Uma nova estirpe de vírus de gripe das aves, designada H10N8, que infectou até agora apenas duas pessoas na China, vitimando uma mulher de 73 anos enquanto uma outra se encontra hospitalizada em estado crítico, já está a preocupar os especialistas.

Há dias, as autoridades chinesas confirmaram um segundo caso humano de infecção pelo vírus da gripe das aves H10N8, que fora reportado pela primeira vez em Dezembro de 2013. E segundo uma análise genética do H10N8 vindo de uma amostra biológica da vítima mortal, publicada na revista médica The Lancet desta quarta-feira, o vírus é uma recombinação de outras estirpes de gripe das aves, incluindo uma, a H9N2, que é relativamente bem conhecida por infectar as aves de criação na China.

O novo vírus surgiu enquanto um outro vírus de gripe aviária frequentemente mortal, o H7N9, já infectou pelo menos 286 pessoas na China, Taiwan e Hong Kong, matando cerca de 60.

Mingbin Liu, do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da cidade de Nanchang, e colegas, escrevem ainda que aquela primeira vítima foi hospitalizada com febre e uma pneumonia grave a 30 de Novembro. E que, apesar de ter sido tratada com antibióticos e antivirais, o seu estado degradou-se rapidamente e morreu nove dias depois do início dos sintomas.

Uma investigação revelou que a mulher visitara um mercado de aves vivas uns dias antes de ficar doente. Porém, não foi encontrado qualquer vestígio de H10N8 nas amostras recolhidas naquele mercado e, portanto, a fonte da infecção permanece desconhecida.

Um dos aspectos preocupantes do novo vírus, segundo outro co-autor, Yuelong Shu, do Centro de Controlo e Prevenção de Doenças da China, é que ele também possui, tal como o H7N9, “algumas características que lhe podem permitir replicar-se eficientemente nos humanos”.

Pelo seu lado, Mingbin Liu acrescenta que a emergência de um segundo caso humano de H10N8 numa mulher de 55 anos “é muito preocupante porque revela que este vírus tem continuado a circular e pode vir a causar mais infecções humanas no futuro”.

“É sempre preocupante quando um vírus atravessa a barreira entre as espécies, das aves ou de outros animais para os humanos, na medida em que é muito pouco provável que tenhamos previamente desenvolvido imunidade contra ele”, diz Jeremy Farrar, director do Wellcome Trust britânico e especialista da gripe, acrescentando que, este vírus apresenta de facto características que o tornam ainda mais preocupante.

fonte: Público