quinta-feira, 26 de maio de 2016

O fim de um mistério ancestral: é revelada a identidade do “homem da máscara de ferro”


Mais de 30 anos de pesquisa permitiram revelar a identidade do homem enigmático por trás da máscara de ferro, um mistério de três séculos de idade.

O lendário “homem da máscara de ferro” parece ter sido descoberto depois de 350 anos de enigma e suspense. 

A busca por sua identidade inspirou grandes escritores da literatura universal, como Voltaire, em seu livro “Questions sur l’Encyclopedia” (1771), ou Alexandre Dumas, em “O Visconde de Bragelonne” (1847), sem grandes resultados. Agora, Paul Sonnino, professor de história da Universidade de Santa Bárbara, diz ter uma resposta definitiva.

Em seu livro “The Search for the Man in the Iron Mask: A Historical Detective Story” (A Busca pelo Homem da Máscara de Ferro: Uma História de Detetives), o professor revela os resultados da pesquisa, um trabalho que demandou 30 anos de esforços. 

Nele, Sonnino afirma que o nome verdadeiro do personagem é Eustache Dauger e que ele não se escondia atrás de uma máscara de ferro, mas de uma máscara de veludo. Ele era assistente do cardeal Jules Mazarin, chefe dos ministros do rei. 

Poucos anos depois de Mazarin ser acusado de roubo à realeza britânica, Dauger foi preso. “Eustache Dauger deve ter falado demais em um momento inoportuno. Quando foi preso, lhe disseram que, se ele revelasse sua identidade, seria executado imediatamente”, afirma o professor. 

Após sete anos de prisão em Pignerol, Dauger foi transferido para a Bastilha em 1698, onde morreu em novembro de 1702, aos 45 anos. Ele foi enterrado no cemitério de Saint-Paul-de-Vence, em Paris, em um túmulo sob o nome de Marchioly. 

fonte: History