domingo, 20 de novembro de 2016

Bebé nasce com cabeça e braços de gémeo parasita





Têm corações e pulmões separados mas partilham a mesma corrente sanguínea.

Um caso médico considerado muito raro está a deixar os médicos indianos (e de todo o mundo) boquiabertos: um bebé nasceu com a cabeça e braços do irmão gémeo parasita, na zona do tronco. 

O menino, ainda sem nome, nasceu de parto natural. O gémeo ‘parasita’ está formado, mas não tem órgãos genitais nem pernas. Os dois bebés têm corações e pulmões separados, mas partilham o mesmo fígado e a mesma circulação sanguínea. 

Os médicos afirmam que as hipóteses de conseguir retirar o gémeo parasita para o outro bebé sobreviver "é alta", mas preveem que a cirurgia demore "longas horas e seja muito complicada". 

A mãe, Hemlata Singh, de 28 anos, nunca fez uma ecografia durante a gravidez e pretendia dar à luz em casa. No entanto, no passado sábado, mesmo depois de um dia inteiro em trabalho de parto, não havia maneira do bebé sair. Acabou por ir com o marido para o Hospital Feminino Ummed, no estado indiano do Rajastão, onde os médicos conseguiram que as duas crianças nascessem. 

"É um caso raro de um gémeo parasita, em que o segundo bebé não está completamente formado. Felizmente têm corações separados, mas partilham a mesma artéria mamária e isso pode tornar a operação mais complicada. Mas o bebé está saudável e as hipóteses de sobreviver à cirurgia são muito altas", garante o médico responsável pelo caso, Anurag Singh. 

A ocorrência de gémeos parasitas dá-se quando há um atraso na separação de embriões durante a conceção. Um embrião mantém o desenvolvimento natural dominante, à custa do outro embrião. Acontece, em média, uma vez a cada 500 mil nascimentos.