domingo, 30 de outubro de 2016

Novos relatos de assombrações na ponte velha são registrados em Jardim, MS


Após 5 meses da matéria sobre o fantasma da ponte velha, mais pessoas afirmaram ter visto a assombração. Dessa vez, o relato é do Sr. Policarpio Ximenes, carroceiro na cidade de Guia Lopes da Laguna, município vizinho a cidade de Jardim.

Em seu relato, o carroceiro conta que em uma das várias viagens que realiza diariamente entre os municípios, no final de uma tarde de sexta-feira, ao se aproximar da entrada da ponte velha pelo lado de Jardim, sentiu a temperatura esfriar de repente, achou que era apenas a área verde e a proximidade do Rio Miranda, mas ao chegar perto da ponte ouviu um barulho próximo a beira do rio, como se uma pedra tivesse sido jogada na água. 

Seu Policarpio se aproximou da ponte para ver da onde vinha o barulho, quando para sua surpresa encontrou uma mulher. Mas não era uma mulher qualquer, ela tinha cabelos longos e olhar penetrante, usava um vestido longo que, apesar da escuridão do fim da tarde, brilhava como se o sol refletisse em seu tecido.

O brilho foi aumentando conforme seu Policarpio forçava a vista e se aproximava do barranco para enxergar melhor a mulher no vestido, até que sua imagem sumiu e um clarão tomou conta, seguido de um novo barulho nas águas. 

Desconfiado e transtornado, ele olhou ao seu redor para ver se mais alguém havia presenciado o mesmo, mas sua companhia mais próxima eram duas motos com o farol ligado que vinham de Guia Lopes a alguns metros dali. Por ser um homem já vivido, seguiu seu caminho e foi para sua chácara. 

Dias depois contou o ocorrido para amigos vizinhos de porteira que, como o previsto, não acreditaram, afirmaram ser “conversa fiada” e que ele tinha presenciado no máximo um pintado pulando nas águas e que tamanha mentira era demais.

Ao conversar com a reportagem, Seu Policarpio afirmou não se importar que as pessoas não acreditem em seu relato (prefere que chamem de relato, pois em histórias ele disse que há possibilidades de existir uma mentira) e que isso ficará guardado para sempre em sua memória.

Pessoas que preferem não se identificar contam que todas as sextas-feiras, no final da tarde, ele é visto fazendo o mesmo caminho e descendo o mesmo barranco. O que reforça ainda mais a veracidade deste ‘causo’.