sábado, 9 de julho de 2016

Japoneses identificam ossadas humanas de mais de 24 mil anos


Investigadores japoneses confirmaram que os fragmentos de ossos achados na Ilha de Ishigaki, no sul do Japão, têm mais de 24 mil anos, o que os transformam na jazida mais antiga do Japão e uma das maiores da Ásia.

"Os últimos testes indicam que os corpos são, em sua maioria, de mais de 20 mil anos, embora os ossos mais antigos tenham mais de 24 mil", disse na segunda-feira à Agência Efe o professor do Centro de Arqueologia de Okinawa que liderou a segunda etapa da escavação e estudo da jazida, Hisayoshi Nakaza.

O grupo de investigadores, composto por dez pessoas, conta também com membros do Museu Nacional de Ciência e Natureza de Tóquio.

Esta jazida, conhecida como a Caverna de Shiraho Saonetabaru e que provavelmente era uma espécie de cemitério, foi descoberta em 2007 quando começaram as obras para a construção do novo aeroporto de Ishigaki. 

A última etapa da investigação, desenvolvida entre 2012 e este ano, conseguiu reunir muitos fragmentos - mais de mil pertencentes e 12 corpos - e estabelecer que são muito mais antigos.

Nakaza explicou que o Museu vai tentar estabelecer as idades e géneros de vários corpos. A partir daí, se buscaria inclusive reconstruir rostos mediante uma simulação 3D tendo como ponto de partida quatro crânios que foram achados quase intactos.

Espera-se que com isto seja possível oferecer informação sobre a constituição física dos indivíduos, o que daria mais informação sobre este grupo enterrado em Ishigaki, que acredita-se que seria o resultado da emigração da Eurásia. 

A maioria dos investigadores acredita que os primeiros habitantes do arquipélago de Okinawa chegaram há 30 mil anos a bordo de embarcações precárias vindos da ilha de Taiwan, que ainda estaria conectada ao continente. 

fonte: Yahoo!