quarta-feira, 10 de fevereiro de 2016

Os verdadeiros 'Ficheiros Secretos' que a CIA se atreveu a publicar


A série original teve direito a dez temporadas e a um total de 205 episódios

Para assinalar o regresso da série de Chris Carter ao pequeno ecrã, a Agência Central de Inteligência partilhou dez documentos, até agora secretos, sobre avistamentos de OVNI. Cinco são para Mulder, os outros cinco para Scully.

"A verdade está lá fora". Nunca o lema deFicheiros Secretos fez tanto sentido como agora. Tudo graças à CIA, que, incapaz de deixar passar em branco o tão aguardado regresso da série de culto, decidiu tornar públicos alguns dos seus documentos confidenciais. Um top 10 no qual os agentes Fox Mulder e Dana Scully "adorariam afincar as mãos", provoca a Agência Central de Inteligência norte-americana, no seu site oficial.

Todos esses "ficheiros secretos" detalham investigações sobre a existência de OVNI, levadas a cabo no final da década de 1940 e ao longo dos anos 1950. Cinco deles foram disponibilizados a pensar, especialmente, na personagem de David Duchovny, "que adoraria persuadir os outros a acreditar na existência de atividade extraterrestre". Ou outros cinco, foram reservados para a "cética" agente interpretada por Gillian Anderson, "que poderia usá-los para provar que existe explicação científica para os avistamentos de OVNIS". Os serviços secretos norte-americanos foram ainda mais longe e, na sua página do Twitter, partilharam dez dicas úteis para quem queira investigar objetos voadores.

Link permanente da imagem incorporada

Os documentos agora publicados já tinham sido desclassificados em 1978, através do Ato de Liberdade de Informação, mas só agora a agência os organizou e divulgou por iniciativa própria. Entre eles, estão relatos de avistamentos de ÓVNIS na Alemanha, em Espanha, no Norte de África e no Congo Belga, todos eles em 1952.

Para quem se questiona sobre o conteúdo desses relatórios, eis uma pequena amostra. "Vi um objeto que se parecia com uma grande panela voadora. Depois, começou a ascender lentamente e a girar como um pião", descreve uma testemunha que vivia na zona soviética da Alemanha nessa altura, acrescentando que, ao aproximar-se, avistou dois homens vestidos com roupas brilhantes e metálicas, que rapidamente regressaram para dentro do "disco".

Quanto aos ficheiros que contrariam evidências como essa, expõem vários memorandos e registos de reuniões entre especialistas, que concluíram, de forma unânime, que os "discos voadores" e as "bolas de luz" avistados não passavam de aeronaves militares ou luzes solares refletidas em cristais de gelo.

Demasiado próximo da verdade

Ao longo das dez míticas temporadas que correram nos anos 1990, o FBI foi suspeito de encobrir uma realidade extraterrestre, não só do público, mas dos seus próprios investigadores. Aliás, o criador da série, Chris Carter, revelou recentemente que quando pediu ajuda à Agência Federal de Investigação para a elaboração de casos, ainda numa fase inicial do projeto televisivo, a sua ideia foi mal recebida. O realizador chegou até a ser intimidado por um misterioso agente, por estar a aproximar-se demasiado da verdade. Esta é a prova viva do "impacto cultural" da trama, frisa o jornal britânico The Guardian. "Enquanto que a série pode ser vista como ficção distópica, algumas pessoas ainda pensam nela como um documentário", acrescenta a publicação.

Os entraves ficaram no século passado e, agora, Mulder e Scully (que entretanto se afastaram da agência federal dos EUA, viveram juntos, tiveram um filho e separaram-se), voltaram a arregaçar as mangas para desvendar, em conjunto, novosFicheiros Secretos.

Os ingredientes da trama original que abriram caminho a 16 prémios Emmy e a cinco Globos de Ouro - teorias da conspiração, avistamentos de OVNIS, raptos por parte de criaturas extraterrestres, entre outros - mantêm-se nesta minissérie de seis episódios, mas envoltos num "novo ambiente político", frisa Chris Carter. De facto, os casos mais marcantes dos últimos anos não ficaram indiferentes ao autor, que logo no primeiro episódio traçou pequenas referências aos ataques do 11 de setembro de 2001, às guerras no Médio Oriente ou ao escândalo de espionagem da Agência de Segurança Nacional dos Estados Unidos (NSA), desvendado por Edward Snowden em 2013. "A ideia da Nova Ordem Mundial é muito relevante", defende ainda o produtor.

A Fox Portugal, que registou uma média de 126 mil espectadores nas duas primeiras emissões da série (a 26 de fevereiro, o que a tornou no programa mais visto do cabo nesse dia), oferece novos episódios todas as terças-feiras, pelas 22.15. Nos EUA, o primeiro episódio da nova série de Ficheiros Secretos registou uma audiência recorde: 21,4 milhões de telespectadores.