sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Três novas espécies de sapos pequenos são descobertas no Brasil Comente


Cientistas brasileiros descobriram três novas espécies de sapos pequenos e venenosos em regiões montanhosas da selva tropical atlântica do sul do país, considerada uma verdadeira incubadora biológica.

Os sapos, que medem de 1 a 2,5cm, foram localizados no estado de Santa Catarina, entre as cidades de Garuva e Blumenau, numa área situada por morros e vales húmidos, atualmente foco de uma intensa atividade de pesquisa científica.

Somente 8% dessa floresta ainda está preservada da atividade humana, enquanto o resto dessa faixa que percorre o Brasil de norte a sul, paralela ao oceano Atlântico e que concentra grande parte da população do país, é considerado perdido.

"A grande relevância desta descoberta é que essa selva funciona como uma área de formação, de origem de espécies. É um laboratório de grande importância tanto para o mapeamento e conservação como para entender os processos biológicos de formação destes grupos de animais", disse à AFP Marcos Bornschein, investigador da Universidade Federal do Paraná (UFPR) e encarregado de identificar os anfíbios.

Os sapos são de cor castanho escuro, com marcas vermelhas nas patas e cobertos por verrugas. Alimentam-se de formigas e ácaros, que, durante o processo de absorção, liberam substância químicas que se acumulam na pele e os tornam venenosos para seus predadores, principalmente as serpentes.

"Não são perigosos para os humanos. Durante o trabalho de campo, alguns investigadores sentiram adormecimento na ponta dos dedos quando os tocaram, mas nada além disso", declarou Bornschein.

A descoberta foi oficializada nesta quarta-feira pela publicação científica internacional Plos One, onde foram apresentadas três espécies: Melanophryniscus milanoi, Melanophryniscus xanthostomus e Melanophryniscus biancae, sendo esta última já proposta a ser considerada em risco de extinção devido ao estreito território que ocupa, disse Bronschein.

Essas espécies têm menos de um milhão de anos, o que as torna recentes em relação à evolução biológica.

Nos últimos anos, também na região sul, foram descobertos outros oito mini sapos de outro género, afirmou a Fundação Grupo Boticário, que apoia o projeto.

O Brasil é o país com a maior biodiversidade do planeta, o que o transforma num país-chave na discussão sobre o meio ambiente.

fonte: UOL