quarta-feira, 7 de fevereiro de 2018

Primeiro britânico tinha olhos azuis e pele negra



O "homem de Cheddar" morreu há 10 mil anos, por isso, já não se lhe veem os olhos, mas cientistas britânicos que estudaram o seu esqueleto, encontrado numa caverna em Inglaterra, afirmam que seriam azuis e a pele escura.

Os investigadores tiraram uma amostra do crânio descoberto numa gruta em Cheddar Gorge, no sudeste de Inglaterra, parte do esqueleto completo mais antigo já descoberto na Grã-Bretanha.

Após uma análise completa ao ADN, concluíram que o homem teria olhos azuis, cabelo encaracolado escuro e pele "escura a negra", considerando que isso prova que o tom de pele mais claro dos europeus se desenvolveu mais tarde do que o que se pensava.

O ADN tem tendência a degradar-se ao longo do tempo, mas como o esqueleto foi preservado cuidadosamente no ambiente estável de uma cave, os cientistas conseguiram extrair uma amostra, do osso do ouvido interno (osso mais denso do corpo humano), para analisar, segundo conta o jornal "The Independent". A análise desta amostra permitiu descobrir novas características do primeiro britânico, como por exemplo, soube-se que Cheddar era intolerante à lactose e ao álcool.

A descoberta serviu também, de acordo com o "The Independent", que cita os colaboradores na investigação, para mostrar que todos "viemos algures de África". 

A história da investigação será contada num documentário a transmitir pela estação Channel 4 da televisão britânica.