quarta-feira, 24 de agosto de 2016

"Devolvem à vida" uma jovem egípcia mumificada há 2000 anos


Quando morreu, esta jovem, chamada de Meritamún (a amada do Deus Amon), teria entre 18 e 25 anos de idade, ela sofria de anemia e teve abcessos e cárie dentária.

Uma equipe de cientistas da Universidade de Melbourne (Victoria, Austrália) usou tomografia computorizada e impressões em 3D de um crânio e a reconstrução do rosto de uma jovem mulher que pertencia à nobreza e que viveu há cerca de 2000 anos, no antigo Egipto, informa o jornal 'Daily mail'.

Os investigadores determinaram que esta mulher, provisoriamente chamada de Meritamún (a amada do Deus Amon), teria entre 18 e 25 anos de idade, e sofria de anemia e teve abcessos dentários e cavidades morreu.

Seus problemas de boca sugerem que esta pessoa pode ter vivido a 331 aC, quando Alexandre, o Grande, conquistou o Egipto o açúcar introduzido.Outra alternativa é que seus ferimentos foram resultado do consumo de mel, uma circunstância que iria colocar a jovem a 1500 aC especialistas ainda estão tentando esclarecer detalhes sobre sua vida, comida e sua origem exacta.

Varsha Pilbrow, biólogo, antropólogo e professor do Departamento de Anatomia e Neurociências da Universidade de Melbourne, disse que "a ideia do projecto é levar esta relíquia, em certo sentido, de volta à vida através do uso de novas tecnologias", com pontos de vista que os alunos aprendem a "diagnosticar as condições que marcam nossa anatomia e detectar como as populações afectadas pelo ambiente em que viveram."

Janet Davey, egiptólogo forense da Universidade de Melbourne, afirma que "com esta reconstrução estão a renascer a sua identidade" e "em troca, dão-nos uma excelente oportunidade para investigar e aumentar o conhecimento e tecnologia."



fonte: RT

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...