sábado, 14 de abril de 2018

Esta cópia em 3D de carbono de Jesus foi criada usando o Sudário de Turim


"Acreditamos que temos a imagem precisa de como Jesus se parecia nesta terra", disse o professor Giulio Fanti, da Universidade de Pádua.

“Esta estátua é a representação tridimensional em tamanho real do Homem do Sudário, criada seguindo as medidas precisas tiradas do tecido em que o corpo de Cristo foi envolvido após a crucificação”, explica Giulio Fanti, professor de mecânica e térmica medições na Universidade de Pádua, que estuda o Sudário. 

Com base nas suas medições, o professor criou uma "cópia de carbono" em 3D que, segundo ele, permite afirmar que essas são as verdadeiras características do Cristo crucificado.


“Portanto, acreditamos que finalmente temos a imagem precisa de como Jesus era nesta terra. 

De agora em diante, Ele não poderá mais ser representado sem levar em conta esse trabalho. ”O professor concedeu cobertura exclusiva de seu trabalho ao periódico semanal Chi, ao qual revelou:“ Segundo nossos estudos, Jesus era um homem de extraordinária beleza. 

Com pernas longas, mas muito robusto, ele tinha quase 5 pés e 11 polegadas de altura, enquanto a altura média na época era de cerca de 5 pés 5 polegadas. E ele tinha uma expressão majestosa e majestosa. ”( Vatican Insider )

Através do estudo e projecção tridimensional da figura, Fanti também pôde contar as numerosas feridas no corpo do homem do Sudário:

“No Sudário”, explica o professor, “contei 370 feridas da flagelação, sem levar em conta as feridas nos seus lados, que o Sudário não mostra porque envolveu apenas as costas e a frente do corpo. 

Portanto, podemos supor um total de pelo menos 600 golpes. Além disso, a reconstrução tridimensional tornou possível descobrir que no momento da sua morte, o homem do Sudário caiu para baixo para a direita, por causa de seu ombro direito foi deslocado, para ferir os nervos.”( Il Mattino di Padova )


As questões que cercam o mistério do Sudário ainda estão intactas; com certeza, naquele homem torturado vemos os sinais de sofrimento nos quais encontramos também um pedaço de cada um de nós mesmos, mas também - vistos pelos olhos da fé - esperamos que esse homem não fosse apenas alguém, mas o Homem por excelência, que “Eis o Homem”, que apareceu docilmente diante de Pilatos e que, após a terrível flagelação, foi levantado na cruz como um homem inocente; não apenas inocente, mas assumindo a culpa de todas as pessoas. 

Embora a crença no Sudário não seja obrigatória, mesmo para os cristãos, a excepcionalidade desse pedaço de linho permanece lá para desafiar nossa compreensão e nossas certezas, quase como um certo Jesus de Nazaré, que desafiou nossas certezas amando seus perseguidores, perdoando-os na cruz e a conquista da morte, há 2000 anos...


fonte: Aleteia